Oi Futuro traz instalação imersiva sem uso de celular

Já imaginou uma experiência audiovisual absolutamente deslumbrante, e você sem poder registrar e postar nas redes sociais? Essa é a proposta da instalação de arte e tecnologia Quiet Room, que abre para visitação do público nesta sexta (13), no Oi Futuro Flamengo. Ela propõe um exercício de introspecção por meio da desconexão da internet e dos dispositivos “smart”. O objetivo é que, ao menos por alguns minutos, os visitantes desliguem-se das redes e mergulhem no momento.

Para participar da experiência, que pode ser conferida de quarta-feira a domingo, das 12h às 18h, o primeiro passo é colocar o telefone celular no bolso. Depois, o visitante é convidado a entrar em uma sala escura, na qual, ao longo de oito minutos, se conectará com sons e projeções interativas de paisagens, que proporcionam uma experiência de mindfulness (estar totalmente presente no momento).

Com cinco metros de largura, quatro de altura, e 10 de profundidade, a instalação é cercada de recursos tecnológicos, como sensores que captam a movimentação dos participantes a distância. Desde a sua concepção, Quiet Room previa a interação sem necessidade de contato físico e, com a pandemia, novas medidas foram adotadas, como cortina de tecido, tratamento antibacteriano e equipamentos de filtragem do ar. Há também limitação de oito pessoas por sessão, respeitando o distanciamento social.

Conexão constante pode ter relação com níveis de ansiedade

A hiperconexão é um termo que, apesar de não oficial, remete a necessidade constante de acesso à internet. E nem é preciso recorrer a estudos ou estatísticas para constatar que grande parte das pessoas passa o dia todo conectada a sites, aplicativos de mensagem e redes sociais. O problema, segundo profissionais de saúde mental, é que este comportamento tem ajudado a aumentar os níveis de ansiedade da população, uma vez que o tempo parece ganhar outra velocidade em ambiente virtual. Nesse sentido, ‘dar um tempo’ pode ser um passo importante para evitar ou diminuir os sintomas do transtorno.

Sensações

Felipe Reif, fundador da Deeplab Project, responsável pela concepção da instalação em colaboração com o artista francês Parse/Error e a especialista em mindfulness Regina Giannetti, conta que o trabalho envolveu diversos testes e neles foi possível observar como ‘se desligar do mundo’ pode ser mais difícil do que parece. “No início da experiência, que é menos visual, os visitantes sentiam falta da recompensa que o cérebro fornece quando acessamos nossos celulares. Porém, na medida em que a experiência evolui a sensação de ansiedade diminui e percebemos uma quietude absoluta na sala”, revela.

“Mindfulness é o estado de consciência que surge quando focalizamos a atenção no aqui – agora. A instalação convida à experiência desse estado por meio da respiração, de movimentos e da interação com o ambiente. Convida também à reflexão do quanto estamos alheios ao que nos cerca enquanto a mente viaja para o futuro, o passado ou outro lugar. E é no presente que a vida realmente acontece”, avalia Regina Giannetti, instrutora de mindfulness e podcaster do Autoconsciente.

Apesar de entender a proposta de Quiet Room, as pessoas que participaram dos testes sempre pediam para repetir a experiência, com o intuito de fotografar e filmar as projeções. “Todos os participantes solicitaram uma segunda sessão para que pudessem registrar as paisagens com seus telefones celulares. Decidimos, então, adicionar dois minutos livres no final da experiência. Nos vimos num paradoxo diante desses pedidos, mas encontramos paz no equilíbrio”, avalia Felipe.

Quiet Room faz parte de uma série de quatro experiências autorais propostas pela Deeplab Project, sobre temas relevantes da sociedade por meio de instalações que misturam arquitetura, design e tecnologia. Redes sociais, interação do Homem com o ambiente e conexões humanas são interpretados pelo estúdio em exposições itinerantes que percorrem o país nos mais diversos espaços culturais.

Reflexão

Segundo Steffen Dauelsberg, CEO da Dellarte Soluções Culturais, responsável pela co-produção da instalação em parceria com a BM Produções, Quiet Room sugere uma importante reflexão sobre hiperconexão, mas de uma forma leve e única. “Além de entretenimento, a experiência proporciona uma reflexão importante sobre essa necessidade de estarmos conectados o tempo todo, motivo pelo qual nos interessamos em produzir a instalação. As características tecnológicas e que respeitam esse momento de pandemia também contribuiu na escolha do projeto”, aponta CEO da Dellarte.

No Rio, Quiet Room é apresentada pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro em conjunto com a Oi e Oi Futuro, incentivado pela Secretaria Municipal de Cultural por meio do Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais. A experiência tem patrocínio da Oi, com apoio cultural do Oi Futuro, e da Ecology.

A visitação segue todos os protocolos de segurança sanitária determinados pelos órgãos responsáveis e deve ser agendada por meio do site oifuturo.org.br/agendamentocentrocultural/ ou pelo telefone (21) 3131-3060. A entrada é gratuita.

SERVIÇO

Data: de 13/08 a 10/10/2021

Horário: Quarta a domingo, das 12h às 18h

Agendamento e orientações de visitação em: oifuturo.org.br/agendamentocentrocultural/ ou pelo telefone (21) 3131- 3060

Local: Oi Futuro – Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo – RJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *