Erica Rosa (Foto: Divulgação)

Erica Rosa estreia no Fashionroom e visa carreira internacional

A estilista Erica Rosa aterrissou em São Paulo nesta semana para a sua estreia no Fashionroom, o maior showroom de moda premium do Brasil, com mais de 25 marcas nacionais, que acontece nos Jardins até dia 25 de junho.
A grife, que leva o seu nome, atua no mercado de varejo há três anos e agora vai investir também no atacado. Para saber um pouco mais sobre o crescimento de sua label, fizemos uma entrevista com ela. Leia a seguir.

Como surgiu o convite para participar do Fashionroom?

O convite partiu do Fashionroom, há quase 3 anos, quando a marca começou seus trabalhos. Na época, fiquei muito feliz com a possibilidade de participar, mas, queria seguir o plano  de lançar a primeira loja-atelier no Rio. Foi exatamente assim que tudo começou. Os sonhos eram gigantes, porém, não atropelar etapas foi o fator fundamental para o amadurecimento da ER. Era preciso criar primeiro a comunicação, o desejo de marca.

O que podemos esperar de sua participação por lá?

Participar do Fashionroom foi um presente. A marca está no momento de ampliar o foco de vendas no Brasil e nada melhor do que participar de um evento desse porte, com marcas consagradas, para mostrar meu trabalho. Erica Rosa é slow fashion, com propósito pautado em sustentabilidade e design emotivo. Desenvolvemos sonhos traduzidos em uma moda atemporal, colorida e com matérias primas incríveis como o linho. Para essa oportunidade, irei apresentar nossas propostas favoritas, com macacões, vestidos e muita alfaiataria. Tudo muito feminino, alegre e colorido. Essa é nossa essência. O trabalho de Sandra Tollentino no styling foi maravilhoso. Conseguimos expressar nosso DNA através de fotos incríveis para o evento e criar conteúdo para nossas mídias. A maneira como iremos dispor os produtos e apresentar a coleção Verão 2022 foi toda estruturada em conjunto com a Sandra e o resultado é fruto de muita parceria e sintonia.

Erica Rosa (Foto: Divulgação)

Quais estratégias você usou para driblar a crise e manter a sua label firme e forte no último ano?

Com a pandemia, senti a necessidade de não parar. Criar e gerar oportunidades foram meus pontos de foco. Ah, sou muito intuitiva e não desisto (risos). Tenho uma equipe incrível que está preparada para tudo. Incentivar e fazer girar a roda da moda brasileira é fundamental. Na contramão dos reflexos que a pandemia gerou na moda e em outros setores, investi em pessoas num novo espaço dentro do Hotel Pestana e também no atacado.

O que podemos esperar da ER, ainda em 2021, após sua participação no evento?

Podem esperar muitas novidades. Antes da pandemia se instaurar no mundo, estava em negociação com uma multimarca de NY, mas, por conta dessa paralisação, pausamos esse projeto. Após SP, pretendo apresentar a marca pelo Brasil e também lá fora.

Como você pretende explorar o mercado mundial da moda e mostrar para outros públicos a sua essência brasileira?

Pretendo marcar presença pelo mundo com a marca e consolidar minha carreira como designer e diretora criativa. É um sonho possível. Fiz IED na França, por exemplo, e estar na Europa sempre me inspirou. Arte e culturas diferentes me impulsionam. Gosto de pessoas e de me arriscar. Sou mineira, radicada no Rio e com alma global.

O mercado mundial precisa de novas propostas e é visível o frescor que a moda brasileira sustentável imprime. Há espaço para todos. Vejo este mercado de forma bem democrática. Basta saber sua essência, comunicar a verdade e apresentar design com sensibilidade. Quando o assunto é mercado internacional, a pauta diária na ER é como planejar coleções que respeitem a marca e como direcioná-las aos mais diversos públicos através de pontos de vendas estratégicos.

Serviço

O Fashionroom acontece na Rua Estados Unidos, 388, nos Jardins, em São Paulo, até dia 25 de junho, das 10h às 19h.

Leia:

Análise cromática: conheça a técnica e identifique suas cores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *