Edson Cardoso, Gui Mazzoni e Cota Azevedo

Correios abre quatro exposições no centro do Rio

O terceiro andar do Centro Cultural Correios foi tomado por quatro aberturas ontem: “Gênese”, de Ribahi, com curadoria de Charles Cosac; “O Sertão Virou Mar”, do potiguar Azol, que teve como curador Marcus Lontra; “IN.Visível Sagrado”, do mineiro Gui Mazzoni (curadoria de Edson Cardoso – que produz a Bela Bienal e mora na Finlândia, onde é proprietário da AVA Galeria – e Cota Azevedo); e “ Rastros Contínuos”, do italiano Umberto Nigi, curadoria de Cota Azevedo.

O vai-e-vem de artistas era grande, muitos indo para ou vindo de algum evento, já que também aconteciam aberturas no Paço Imperial e MAM, sem falar na agenda fervo da ArtRio. E no primeiro andar ainda inaugurava uma coletiva do Instituto Italiano de Cultura, com fotografias de arquitetura. Ednor Medeiros, diretor do Centro Cultural, comemorava o sucesso das exposições. Na hora das fotos, todos tiravam as máscaras (e também para tomar algumas tacinhas do coquetel que rolava em todas as salas).

Veja nas fotos de Marco Rodrigues.

Carol Emerenciano, Sérgio Azol, Maria Paula e Bárbara Oliveira
Mario Ribahi e Luciana Gameleira
Sérgio, Azol, Dila Oliveira
e Marcus Lontra
Sueli Voltarelli e Edinor Medeiros
Umberto Nigi
Zé Antonio MacDowell, Ana Luisa Rego, Mario Ribahi e Lucca Malta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *