25/1 – Pesquisadora de dança abre inscrições gratuitas para laboratório artístico

Qual a implicação do corpo no ato de escrever? É possível escrever enquanto nos movemos? Quais são os afetos percebidos entre razão e sensibilidade? Como a poesia do corpo pode interferir no ato criativo? Essas são algumas das perguntas que guiam o Laboratório Corpo Palavra – Coreografias e dramaturgias cartográficas, trabalho artístico-pedagógico desenvolvido pela bailarina, coreógrafa e professora de dança Aline Bernardi há seis anos.

Estão abertas de 13 a 22 de janeiro, através deste link, as inscrições gratuitas para uma nova etapa do laboratório, com início no dia 25, que vai investigar também os novos hábitos que nosso corpo está vivenciando durante a pandemia com quarentena estendida. As aulas virtuais serão oferecidas a 35 participantes, a partir da seguinte divisão: 3 vagas para mulheres, 3 vagas para pessoas negras, 3 vagas para indígenas, 3 vagas para lgbtqia+, 3 vagas para pessoas com deficiência, 5 vagas para estudantes de Ensino Médio e Técnico, 5 vagas para estudantes de graduação e pós-graduação em Artes e 10 vagas para ampla concorrência — 70% das vagas serão destinadas ao município do Rio de Janeiro e 30% destinadas ao Brasil e América Latina.

O projeto tem patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro/Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e do Governo Federal através do Prêmio Fomento a Todas as Artes.

O lançamento oficial do projeto será no dia 16 de janeiro, em encontro virtual, das 19h às 21h, transmitido ao vivo pelo canal de Facebook do Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. Na ocasião, haverá a apresentação das atividades e conversa com profissionais da dança e das artes do corpo.

Lab Corpo Palavra (Foto: Helena Cooper)

O intuito do projeto é oferecer um ambiente de experimentação para investigar as coreografias e dramaturgias do movimento, compreendidas como escritas do corpo no espaço em uma perspectiva cartográfica. A cartografia parte do pressuposto e do reconhecimento de que estamos continuamente em processo. Serão organizadas dinâmicas somáticas e de consciência corporal para o reconhecimento da estrutura do corpo físico e seus aspectos sensoriais, e jogos criativos de escritas cartográficas “As dinâmicas do laboratório vão oferecer um campo de experimentação entre práticas somáticas corporais junto a leituras, conversas e escritas. Queremos experimentar coletivamente gestos integrados entre corpos e palavras que possam nos impulsionar aos processos de criação artística”, explica Aline. “Construir um corpo cartográfico pressupõe que a gente se permita estar disponível para se relacionar com o que vai aparecer no processo, afetar e ser afetado pela presença de cada pessoa que vai compor esse coletivo”, acrescenta.

As aulas começam no dia 25 de janeiro e terão duração de sete semanas. No final do processo, será organizada uma mostra artística a partir do trabalho desenvolvido. O laboratório será dividido em dois módulos teóricos e práticos junto aos encontros criativos sob o comando de Aline Bernardi (diretora artística do Celeiro Moebius e propositora do Lab Corpo Palavra), com acompanhamento dramatúrgico de Lígia Tourinho (artista da dança e do teatro e Professora do Departamento de Arte Corporal da UFRJ).

Uma aula introdutória sobre o projeto pode ser vista no Youtube.

Haverá também palestras e vivências com convidados como Hélia Borges (psicanalista, professora da graduação e da pós-graduação da Faculdade Angel Vianna. Pesquisadora de arte, psicanálise e processos de subjetivação); Ondjaki (poeta e escritor angolano); Sandra Benites (antropóloga indígena da etnia guarani, curadora do Museu de Arte de São Paulo, arte-educadora e artesã); Soraya Jorge (Pesquisadora, artista do movimento e do gesto palavra. Introdutora do Movimento Autêntico no Brasil); Maria Alice Poppe (Bailarina, pesquisadora e professora dos cursos de dança da UFRJ); Ciane Fernandes (Performer e professora da Escola de Teatro da UFBA, uma das fundadoras do PPGAC/UFBA e diretora do Coletivo A-FETO); Ana Paula Bouzas (atriz, bailarina, diretora de movimento e pesquisadora das artes do corpo em cena); Ana Kfouri (diretora teatral, atriz, professora de Artes Cênicas e coordenadora da Pós-Graduação Relações entre Corpo e Palavra nas Artes da Cena da PUC-Rio); Katya Gualter (artista da dança, Professora do Departamento de Arte Corporal e Diretora da Escola de Educação Física e Desportos da UFRJ); Ruth Torralba (professora da Graduação e Mestrado em Dança da UFRJ, coordena o Núcleo de Pesquisa, Estudos e Encontros em Dança) e Lídia Laranjeira (Artista do corpo, pesquisadora, coordenadora do Núcleo de Pesquisa, Estudo e Encontro em Dança e professora da graduação em dança da UFRJ) e Pedro Sá Moraes (cantor, compositor e ator).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *