A Península de Setúbal é uma das principais rotas de enoturistas do mundo

A charmosa Península de Setúbal, em Portugal, entrou no radar dos apreciadores de vinhos. E não é somente um motivo que alçou a região a um dos principais roteiros de enoturismo do mundo: além da natureza ímpar da região, que vai dos Parques Naturais da Arrábida à Reserva Natural do Estuário do Sado, os produtores desta região têm vinhos de prestígio, como o vinho Moscatel de Setúbal, elaborado a partir das castas Moscatel e Moscatel Roxo, considerado um dos mais antigos e famosos vinhos do planeta.

O Moscatel de Setúbal se tornou, ao longo do tempo, um dos mais buscados pelos viajantes que vão para a região. Com uma qualidade inigualável, é um vinho de excelente qualidade, principalmente quando envelhecido em barricas de carvalho. O seu aroma é intenso, trazendo notas de laranjeira, que com a idade evolui para notas de frutos seco, passas e café.

Ou seja, um elixir para os amantes de Dionísio!

Para saber como fazer esta rota e não perder nada, entrevistamos Henrique Soares, presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS).

À entrevista! 

Deloox: Por que a região de Setúbal se tornou referência para os praticantes de enoturismo? Qual o principal público que se tornou frequentador assíduo?

Henrique Soares: Nossa região foi pioneira na organização da oferta enoturística. Nos anos 2000, criamos nossa associação da Rota de Vinhos da Península de Setúbal/Costa Azul e, desde então, o número de sócios não parou de aumentar, integrando não só produtores de vinhos, mas como outros parceiros da oferta turística: autarquias, restaurantes e hotéis. Porém, nossos argumentos principais vão além: adegas, vinhas e vinhos muito bons, além de um património muito rico e diverso. Se contar que toda a população de Setubal recebe os turistas de forma calorosa e acolhedora! Já sobre os frequentadores, os franceses e os espanhóis estão no topo do ranking dos turistas estrangeiros, seguidos pelos brasileiros e outros membros da União Europeia (alemães, ingleses e holandeses). Mesmo assim, os visitantes portugueses são também muito importantes. 

Deloox: Quais são as principais rotas? 

Henrique Soares: Nossa rota se subdivide nesses seis percursos, que ajudam o turista a procurar a oferta mais adequada ao seu tempo disponível, de acordo com seus gostos e mobilidade:  Santiago, que traz a história com o patrimônio e artesanato; Arrábida, que foca no vinho, arte e natureza; Sado, para os amantes de vinha e do golfe; Colonos, que oferece as linhas ferroviárias e antigas devoções (horizontes de ruralidade); Baía dos Golfinhos, para os que gostam de sol e mar; e terras verdes, um lindo percurso por jardins de vinhas.

Conhecer a Península de Setúbal é um convite aos seus sentidos

Deloox: Quais as principais harmonizações que são oferecidas? Existe alguma específica, que chama mais atenção? 

Henrique Soares: Gastronomicamente, a região é famosa pela qualidade do seu peixe, pelos seus doces e pelo queijo de azeitão (um dos mais reconhecidos queijos de ovelha de Portugal), além da carne de cordeiro e a de porco. A região tem dois nomes de origem: Setúbal (Moscatel de Setúbal e Moscatel Roxo de Setúbal) e Palmela; em Setúbal apenas se podem produzir vinhos licorosos, já em Palmela é possível produzir todos os tipos de vinhos. Os vinhos brancos da região são a companhia natural para o nosso peixe, bem como nossos vinhos tintos são a melhor companhia para nossas carnes. Já quando se trata de nossos doces, como torta de azeitão, fogaça de Palmela e de Alcochete, doces de laranja de Setúbal, farinha torrada de Sesimbra, o turista nem precisa pedir porque o Moscatel de Setúbal é o primeiro a aparecer. Mas há uma harmonização que não é comum e que vale arriscar: um queijo de azeitão com nosso vinho licoroso Moscatel Roxo de Setúbal ou o seu irmão Moscatel de Setúbal são combinações que se tornam um desafio para os sentidos, tanto pelo contraste de sensações salgada/doce, pois são muito intensas e podem gerar um equilíbrio difícil de atingir.

Deloox: Já que o moscatel é o carro-chefe do enoturismo de Setúbal, o que os visitantes falam a respeito dele? 

Henrique Soares: Sem dúvida pelo fato de o Moscatel de Setíubal ser um clássico dos vinhos licorososos portugueses que continua se reinventando há 110 anos, além de se destacar nos mais prestigiados concursos mundiais de vinhos. Os turistas se impressionam sobretudo com seus fantásticos aromas, com sua complexidade e um final de boca longo e persistente capaz de harmonizar com sobremesas muito ricas, mas também com queijos, o que é uma versatilidade que poucos vinhos possuem.  

 

Os vinhos podem ser harmonizados com queijos conhecidos na região

Deloox: Com qual impressão os visitantes deixam a Península depois da prática do enotutrismo?

Henrique Soares: Acreditamos que nossos turistas nos deixam com vontade de voltar para conhecer um pouco mais e, acima de tudo, com uma enorme vontade de recomendar a visita de nossa região a seus familiares e amigos. Logo, esse é um feedback que estamos percebendo constantemente quando perguntamos a novos turistas como chegaram até nós, e é muito gratificante essa sensação de que nossos maiores embaixadores são aqueles que já tiveram a oportunidade de nos visitar!

São mais de 21 locais para experimentar os mais variados tipos de vinho

Deloox: Como a CVRPS incentiva o enoturismo na região?

Henrique Soares: Motivando os produtores que invistam nas condições para receber turistas, construindo ou adaptando e melhorando suas lojas, salas de prova e criando condições para realizar eventos e receber grupos de turistas. Também é importante falar da nossa estreita parceria com a associação da Rota de Vinhos da Península de Setúbal e da associação ADREPES (Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal), que financiado muitos dos projetos na área do enoturismo em nossa região.

SERVIÇO: As visitações às adegas ocorrem durante o ano todo, mas elas devem ser agendadas. O passeio custa a partir de € 3 por pessoa. Ao todo, 21 vinícolas são listadas na rota. Confira aqui a lista dos locais que você não pode deixar de conhecer.