Ao abrir a Tuareg, no ano passado, a estilista Jaqueline Saldanha queria sacudir a monotonia do vestuário criado para proteger os usuários contra os efeitos da exposição solar. De lá para cá, rapidamente, a marca ganhou duas lojas no Rio de Janeiro e ficou conhecida por criações que, na contramão do praticado, privilegiam uma modelagem moderna, dedicadas a ocasiões diversas, desde as mais sociais, passando pelo beachwear, até o esporte. A marca está lançando sua coleção inverno 2017 com um mix de peças cheias de bossa, entre elas blusas com decote, vestidos acinturados, biquínis e tops que protegem contra a radiação do sol e, ao mesmo tempo, são biodegradáveis, seguindo os passos da moda consciente.  

"Quando em contato com o oxigênio, nos aterros sanitários, as nossas peças se deterioram em três anos, enquanto uma peça de tecido normal leva 50. A resposta está no uso de poliamida especial, cujo fio tem biodegradação, ao incorporar, em seu DNA, aditivos específicos patenteados", explica ela.

Com experiência em confecção, Jaqueline veio de uma família que tem a pesca como hobbie e começou fabricando roupas para o pai, o marido e os amigos usarem na prática de esportes náuticos. Mas o passado de estilista de moda falou mais alto e, logo, calças, vestidos, maiôs e outras variações de peças começaram a ser desenvolvidas. Para quem quiser conhecer, a nova coleção pode ser encontrada nas lojas do Iate Clube do Rio de Janeiro e do Fashion Mall.