Home office no quarto projetado pela Dantas & Passos Arquitetura (Foto: Maura Mello)

Com o aumento de casos de Covid-19, o Ministério da Saúde recomenda a redução do contato social e pede para que os brasileiros evitem aglomerações, reduzindo assim as chances de transmissão do novo vírus. Como método de prevenção, algumas empresas têm liberado os funcionários para cumprir suas tarefas através de home office.

Trabalhar em casa pede muito mais do que disciplina com horário, conscientização dos outros moradores e atenção do colaborador. Para ajudar a preparar um ambiente que garanta funcionalidade e bem-estar, selecionamos alguns arquitetos que nos passaram dicas essenciais para a montagem do seu espaço.

Escritório planejado pelos arquitetos Pati Cillo e Fernando Figoli (Foto: Luis Gomes)

Prepare seu escritório

Para que o trabalho em casa seja bem sucedido, não basta simplesmente arrumar uma mesa, uma cadeira e ligar o computador. “Disponha de um local destinado a esse fim e não estou falando da mesa de jantar. É de extrema importância ter um canto ou, de preferência, um ambiente fechado que funcione como escritório, pois a privacidade e a concentração são fundamentais para fluir perfeitamente”, explica a arquiteta Pati Cillo, do escritório Pati Cillo Arquitetura.

Tenha privacidade

Quando não se tem um ambiente exclusivo para o home office, divisórias podem ser uma boa saída. As peças podem ser soltas tipo biombos ou inteiramente fechadas, como portas de correr embutidas ou vazadas. “Os biombos são mais flexíveis por serem soltas. Já as divisórias inteiras dão mais privacidade e cumprem o papel de uma parede fechada. As vazadas delimitam espaços sem fechar ou esconder totalmente os ambientes integrados”, explica a arquiteta Danielle Dantas, do escritório Dantas & Passos Arquitetura

Acerte sua postura

O planejamento físico para o escritório merece atenção. Mesmo que sejam peças pequenas, precisam ter a ergonomia certa para não prejudicar a postura do usuário. É imprescindível que ele tenha uma mesa confortável, com tampo que varie de 70 a 75 cm de altura, onde poderá ficar sentado com o antebraço apoiado na mesa, e a profundidade adequada é de, no mínimo, 45 cm. “Vale lembrar que os pés devem ficar sempre encostados no chão com as pernas dobradas a 90 graus. Dê preferência às cadeiras com regulagem de altura e encosto, afinal, todo conforto é mais que bem-vindo”, reitera a arquiteta Pati Cillo. 

Varanda abrigou home office projetado pelo Andrade e Mello Arquitetura (Foto: Luis Gomes)

Se organize 

Manter a organização é essencial quando se trabalha de casa. Busque ter uma rotina e trabalhar nos horários em que seu rendimento é melhor. A organização física também é necessária para o trabalho fluir. “Nossa dica é evitar deixar tudo espalhado e procurar organizar em caixas, pastas e gavetas. Para ter a organização necessária para sua melhor produtividade, convém planejar móveis que tenham espaço suficiente para guardar todo seu material de forma organizada. E, se possível, tentar não misturar suas coisas de trabalho com suas coisas pessoais”, recomenda Paula Passos, da Dantas & Passos Arquitetura.

Arrume a fiação do espaço

A fiação também deve ser uma preocupação para manter o home office visualmente organizado. “Na hora de planejar a marcenaria sob medida não se deve esquecer dos fios em geral, de forma que fiquem escondidos e organizados sem ficar à vista ou atrapalhando. Planeje também a quantidade de tomadas necessárias. Não puxe pontos de energia usando dúzias de extensões. A parte elétrica é essencial para o bom funcionamento do home office e deve ser feita de forma segura para evitar riscos de acidentes e incêndios”, lembra a arquiteta Paula Passos.

Escolha a iluminação adequada 

A iluminação é fundamental para o conforto de quem trabalha em casa. O ambiente deve ainda ser claro, com a luminosidade natural filtrada por cortinas ou persianas, e dispor de uma luz focada na mesa de trabalho. O uso de uma luminária de mesa é mais que bem-vindo, deixando o ambiente bem aconchegante. Quando o assunto é temperatura da luz, os arquitetos da Andrade & Mello Arquitetura explicam: "Recomendamos sempre a luz branca morna, em torno de 3000K, pois iluminará o suficiente para manter o aconchego que o ambiente pede", diz Erika Mello.

 

Leia: Arquitetas listam seis erros que fazem o apê parecer menor do que é