Projeto: Karina Korn Arquitetura / Foto: Eduardo Pozella

Vintage e retrô são duas palavras bem conhecidas no mundo da decoração e do design. Apesar de muitas vezes serem usados como sinônimos, esses dois estilos definem peças diferentes, tanto em sua origem quanto ao período a que se referem. “Vintage é o clássico original usado novamente enquanto o retrô busca uma referência antiga para a criação de algo novo”, resume Karina Korn, arquiteta à frente do escritório Karina Korn Arquitetura.

O estilo vintage traz peças originais, que geralmente datam das décadas de 1920 a 1960. “Objetos realmente antigos, como uma vitrola, um carrinho de chá ou um telefone são peças capazes de trazer o ar vintage a qualquer decoração”, comenta Karina. Quando os itens alcançam os 100 anos de idade, eles já podem ser considerados como antiguidades.

O retrô, por sua vez, apresenta peças novas cujo design é inspirado em épocas passadas. Os anos 1950 e 1960 são as principais referências para as releituras do retrô. Eletrodomésticos coloridos e móveis com pés palito, além de máquinas de escrever e toca discos novos, são alguns objetos característicos do retrô.

Onde encontrar

Dos anos 1950, o carrinho de chá foi herdado pela moradora e se tornou uma mesinha lateral na sala de estar.  Projeto: Karina Korn Arquitetura / Foto: Eduardo Pozella

Num décor vintage, é comum incluir peças herdadas da família e que passam de geração em geração. Mas além da casa da avó, brechós e antiquários são os lugares mais indicados para encontrar objetos antigos. “Sem dúvida, os brechós são a melhor opção para buscar móveis e utensílios de decoração vintage. Também indico procurar antiquários que possam atestar a origem das suas peças”, aconselha a arquiteta. Já móveis, eletrodomésticos e objetos retrô podem ser encontrados em uma diversidade de lojas.

Paleta de cores e materiais

Na varanda, que abriga um fliperama, a arquiteta apostou em tons alaranjados e madeira.    Projeto: Karina Korn Arquitetura / Foto: Eduardo Pozella

Incluir peças vintage e retrô em um ambiente contemporâneo está em alta. Mas se a intenção é recriar os estilos por completo, a escolha da paleta de cores é essencial. “As cores são muito importantes para esses dois estilos, uma vez que elas acabam por ativar a nossa memória afetiva”, explica Karina.

O marsala, que voltou com força, e tons alaranjados podem compor um espaço vintage. “Esses matizes mais fortes marcam o estilo vintage porque, além de remeterem ao passado, ficam harmônicos em decorações com móveis mais pesados e torneados”, pontua a profissional. Já os tons pastel recordam o estilo retrô, então vale usar azul, rosa e verde em matizes claros.

Quanto aos materiais e às formas, o retrô traz muito metal, vidro e formas arredondadas. No vintage, essas referências também estão presentes, além da madeira.