Módulo 'Tropicalistas', de Miguel Pinto Guimarães para nova coleção outdoor da Artefacto. Foto: divulgação

A Artefacto convocou os arquitetos Arthur Casas, Felippe Crescenti, Miguel Pinto Guimarães e Ricardo Bello Dias para transformar cores, texturas, formas e dimensões da fauna e flora brasileiras em peças de mobiliário contemporâneo para áreas externas. Segundo a curadora do projeto, Clarissa Schneider, o desafio do quarteto para desenvolver a nova coleção "Oásis", da linha Beach & Country, foi descobrir novas paisagens para a casa a partir de um mergulho nas tendências orgânicas atuais, exigência do novo perfil de consumidor, engajado sócio-ambientalmente e preocupado com a origem do que compra.

Trançados manuais, fibras naturais e suas versões hit-tech sintéticas foram amplamente explorados na coleção, numa forma de unir eficiência, funcionalidade e resistência. A "Oásis" chega com a proposta de fazer ao público um "convite ao respiro em meio ao ritmo frenético do século 21", como afirma a curadora. Para reforçar esta atmosfera, Miguel Pinto Guimarães criou, por exemplo, o banco Tropicalistas, inspirado na cultura indígena. 

Arthur Casas, por sua vez, desenvolveu a cadeira Xingu, que traz um encosto levemente inclinado para se ajustar às costas e um trançado contínuo com duas opções de tramas: uma sintética para áreas externas e outra em cordas para as internas. Felippe Crescenti apresenta a Arcos, com peças que prezam o conforto e a leveza com dimensões adequadas à vida cotidiana. E Ricardo Bello Dias apresenta o sofá componível Amman, revestido com trama rítmica e harmônica de corda náutica em tons verde suave. 

Poltrona Arcos, de Felippe Crescenti para Artefacto. Foto: divulgação

Sofá componível Amman, de Ricardo Bello Dias. Foto: divulgação

Cadeira Xingu, de Arthur Casas. Foto: divulgação