Foto: Reprodução/Pixabay

Durante o mês de agosto, a Cinemateca do MAM vai trazer novos títulos para sua programação online, enquanto o auditório Cosme Alves Netto permanece fechado em razão da pandemia.

Nesta perspectiva, três documentários serão exibidos: "Uma questão de fé", de Élber Xavier, "Animal indireto", de Daniel Lentini, e "Edna", de Edna Toledo. O curta documental de Xavier registra a celebração da festa de Iemanjá no Rio de Janeiro, numa trajetória que se inicia no Mercadão de Madureira e segue até a praia de Copacabana. Já os filmes de Lentini e Toledo (que serão apresentados em uma sessão dupla) refletem sobre a questão da saúde mental e sobre o cinema como uma possível forma de cura. Temas ainda mais importantes no contexto atual.

Na sequência, dois curtas que desdobram as comemorações dos 65 anos da Cinemateca - e foram produzidos por lá - entram em cartaz: a ficção "Valentina" e o documentário "Juliana".

Já "Me cuidem-se! (parte VI)", de Bebeto Abrantes e Cavi Borges, é a última parte de um filme-processo que vem sendo desenvolvido nos últimos meses durante a crise sanitária do COVID-19. Com um sentimento de urgência, busca criar um registro sobre o impacto da pandemia e do isolamento social na vida de diferentes pessoas em diversas regiões da cidade do Rio de Janeiro.

Cacaso na corda bamba (Foto: Reprodução/Curta)

Três filmes do coletivo Anarca Filmes, cuja produção audiovisual será toda depositada na Cinemateca do MAM, entram na programação. "Migues", "Waleska Molotov" e "Bad Galeto: no Limite da Morte" são três obras que representam a experimentação, o engajamento, a criatividade e combatividade do trabalho desenvolvido pelo coletivo que reúne artistas e pensadoras LGBTQI+. 

Por fim, o público poderá assistir em casa a sessão especial em parceria com o Recine - Festival Internacional de Cinema de Arquivo. Criado em 2002, o Recine é um parceiro regular da Cinemateca e tem por objetivo divulgação de obras realizadas com materiais de arquivo e a valorização do trabalho de preservação do patrimônio audiovisual. Na ocasião, o título escolhido foi o doc "Cacaso na corda bamba", de José Joaquim Salles e Ph Souza, vencedor do festival em 2016.

Para fazer escolher os seus favoritos e criar sua própria programação, acesse o link http://www.vimeo.com/mamrio.