Reprodução: Uiara Bartira 30 x 42

O Espaço Zagut acaba de inaugurar a exposição virtual "Gráfica" no site da galeria. A mostra reúne vídeos de 200 artistas participantes e  catálogo digital.  

Com organização de Isabela Simões e Augusto Herkenhoff, a Zagut propôs aos artistas um mergulho no universo da importância dos pontos e das linhas como instrumento de trabalho gráfico, especificamente para esta mostra. Participam do projeto Elaine Carrapateira, Grasi Fernasky, Jorge Cerqueira, Maria Perdigão, Noemi Ribeiro, Augusto Herkenhoff, Salazar Figueiredo, Roberto Tavares, Uiara Bartira, Marcia Cavalcanti, entre outros.

Um caminho longo foi percorrido para que a gravura se firmasse como arte. Desde então, a importância da imagem em si veio se consolidando, e o advento da fotografia como linguagem da arte se contrapondo à sua função convencional e, mais recentemente, os métodos digitais se juntaram a esse arsenal, quando a obra se afasta do que se classifica como design aplicado a objetos utilitários e se coloca como obra única ou com tiragem limitada. 

Reprodução: Noemi Ribeiro 30 x 40

Quando Kandinsky se preocupa em definir em um livro (que foi muito utilizado não só na Bauhaus, mas em inúmeras escolas ao longo de décadas) o que seria a arte gráfica, começa se referindo à importância do ponto, de acordo com a técnica da gravura empregada. Depois se debruça na das linhas e a conexão entre as leis da arte e as da natureza, para finalmente fazer uma ligação com o plano em que se inserem.

É curioso que, no início do século 20, com o crescimento meteórico do modernismo, abstracionismo e outros movimentos, houve a preocupação na Inglaterra de se criar uma sociedade para manter o interesse em formas de arte sem que se usasse a cor como forma de expressão, a The Society of Graphic Fine Art, que existe ainda nos dias de hoje, agora já aceitando o uso de cores e de arte não figurativa entre seus membros. 

Na atualidade, esse olhar não é tão frequente. Uma minoria de artistas é de gravadores, e métodos trabalhosos vão caindo em desuso. O mercado dá pouca atenção ao trabalho hercúleo de inúmeros desenhos e provas, a devida importância aos cadernos, que são a base de muitas obras em outros meios. 

Dessa forma, as linhas se juntam e formam imagens gráficas, onde as cores, se presentes, têm papel secundário. Geralmente associadas a duas dimensões, também podem se apresentar em três. Os artistas foram instigados a pensar na importância dessas linhas na expressão de sua arte para a escolha dos trabalhos para esta exposição.

Reprodução: Jorge Cerqueira 30 x 42

Leia: MAM-Rio promove ação solidária através do Clube de Colecionadores