Heleno Bernardi (Foto: Rodrigo Westin)

A Z42, espaço de arte situado no Cosme Velho, vai receber a partir de sábado (14) a exposição "Ao Peso da Sombra", do artista Heleno Bernardi. A individual é a primeira mostra do artista, no Rio de Janeiro, de suas telas de grande e médio formato.

Serão em torno de dez obras apresentadas nas amplas galerias da casa. O artista, com 17 anos de carreira, é mais conhecido por suas intervenções urbanas, como a realizada em 2018 nas ruínas do Cassino da Urca com uma tonelada de purpurina, mas vem desenvolvendo obras em pintura desde 2012. “Eu venho trabalhando com vários meios como a fotografia, o objeto, o vídeo e a instalação, mas sempre tive proximidade com a pintura”, explica Heleno, que, depois de cinco anos de trabalho em ateliê, se propõe a apresentar ao público uma exposição só com pinturas.  

Questões como o embate do corpo com a cidade, exploradas em intervenções como “Enquanto Falo As Horas Passam” (colchões espalhados por lugares públicos) e a série “Magma” (purpurina sobre imóveis demolidos) continuam presentes em sua produção, mas agora partindo da construção de espaços pictóricos abstratos. Segundo Heleno, depois que seus “colchões” foram exibidos por anos seguidos em muitas cidades e países, o artista sentiu necessidade de desenvolver um trabalho dentro do ateliê. “A pintura, que comecei a desenvolver em 2012, me fez ficar mais tempo no estúdio. Alguns anos pesquisando a linguagem, sem pressa, e a pintura ocupou um lugar importante dentro da minha gramática artística se juntando ao meu interesse pela cidade, pela circulação e pelos fluxos urbanos”.

Heleno Bernardi (Foto: Divulgação)

O artista não parte de fotografias ou outras imagens, pois o conceito de sua pintura diz respeito mais a uma postura frente à cidade do que a uma representação. “A cidade é um campo de experiências que todos nós enfrentamos física e psicologicamente. Este enfrentamento demanda esforços de muitas ordens e gera sensações e memórias. Não se esquivar dos desafios da cidade é uma atitude que me interessa como artista”, diz.  

Ao Peso da Sombra é uma leitura, através da abstração, de sensações motivadas pela cidade, realizada através de fluxos contínuos de tinta, que escorrem por ação da gravidade.  

Outro fator importante que influenciou o trabalho de Heleno Bernardi é o deslocamento para seu ateliê, que fica no Engenho de Dentro, dentro no hospital do Instituto Municipal Nise da Silveira. O artista faz frequentemente o trajeto de trem desde 2014 para o hospital onde também é voluntário. “Sair do circuito artístico da Zona Sul e do centro é importante. Ir para Engenho de Dentro é uma outra experiência iconográfica, outra velocidade e vibração”. 

Semanalmente, Heleno ministra uma oficina de desenho para os pacientes, um programa livre onde se pretende estimular a expressão pessoal dos pacientes através da expressão artística.