Mulambö, Série Armas, 2019

Após uma pausa de quatro meses para ser reformada, a Biblioteca e Centro de Documentação do Museu de Arte do Rio, sob a gestão do Instituto Odeon, reabre ao público neste sábado (24). Esta reforma permitiu o aprofundamento da dimensão pública da Biblioteca e redesenhou a vocação deste espaço, que agora assume uma função multiuso - leitura, pesquisa, exposição e mediação cultural. Todas essas ações fazem parte de um projeto maior de reposicionamento do MAR, que está sendo realizado com apoio financeiro do BNDES, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e compreende ações nos diversos níveis de atuação do museu.

“A reinauguração da Biblioteca é um dos pontos altos do projeto de fortalecimento do MAR, pois sabemos da necessidade de termos uma malha cultural competente, robusta e que possa atender aos vários segmentos da sociedade. Foi muito importante que o BNDES acolhesse nossa proposta, entendendo a cultura como um componente de política pública, seja na democratização, na formação, na sensibilização e no pleno exercício da cidadania cultural. Por meio desta parceria, entregamos ao público um espaço para usufruto de todos, que além de ser um ambiente para estudo, trabalho e consulta bibliográfica seja também um espaço expositivo para que novos artistas possam se expressar nas mais variadas linguagens”, explica Eleonora Santa Rosa, diretora executiva do museu.

Biblioteca MAR

Detentor do maior acervo de livros de artista do país, a Biblioteca retoma suas atividades com um novo ambiente expositivo chamado Espaço Orelha, que será inaugurado com a abertura da exposição “Mulambö - Tudo Nosso”, primeira mostra individual do artista Mulambö. O evento gratuito contará ainda com uma feira de publicações independentes e artes gráficas, lançamento de livro, oficina de origami para crianças, oficina de livros de artista e encadernação artística para adultos e adolescentes, sarau e DJ.

As obras na Biblioteca e Centro de Documentação do MAR aumentaram em 100% a capacidade de armazenamento do acervo - integrado por cerca de 25 mil itens -, além oferecer mais assentos aos usuários, espaços mais cômodos de leitura, local para reunião de grupos de estudo e espaço expositivo, entre outras novidades. Tem início também com a reabertura da Biblioteca um projeto patrocinado pelo BNDES que envolve a migração do acervo Bibliográfico e Arquivístico para um sistema mais atualizado de consulta e catalogação, processo que dará origem à política curatorial de aquisição e descarte da Biblioteca, a ser realizada por um grupo de trabalho composto por profissionais do MAR e convidados.