Paisagista gaúcho se destaca em Nova Iorque e lança livro no Brasil

Segunda-feira 14 Outubro 2019 / Comportamento

Frederico Azevedo (Foto: Divulgação)

O gaúcho Frederico Azevedo é um dos paisagistas mais prestigiados dos Estados Unidos, com projetos que levam a sua assinatura nos jardins das mais luxuosas mansões do balneário de Hamptons, litoral de Nova York, onde os multimilionários americanos constroem suas mansões.

Durante este mês, ele percorre o Brasil para book signing nas cidades de Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. O lançamento na Cidade Maravilhosa será na loja Pat Bo, no Shopping Village Mall, das 17h às 20h, na quarta (16).

O livro é um lançamento da conceituada editora Pointed Leaf Press, especializada em publicações de alta qualidade sobre as principais personalidades de design, arte, moda e fotografia e traz os melhores projetos do autor, com imagens que lembram as pinturas impressionistas dos jardins de Monet. Lançado em junho nos Hamptons, com enorme sucesso, é atualmente um dos mais vendidos no site Amazon, além de ser destaque na revista AD France.

Jardim elaborado por Frederico Azevedo (Foto: Divulgação)

Por: REDAÇÃO DELOOX

Brasileiro do 'Cirque Du Soleil' lança livro sobre sua trajetória no mundo dos negócios

Segunda-feira 14 Outubro 2019 / Comportamento

O artista Marcos Casuo apresenta ações motivacionais nas empresas e lança livro contando sua trajetória

Após oito anos atuando em uma das principais empresas de entretenimento do mundo, o “Cirque Du Soleil”, protagonizando o espetáculo “Alegria”, o brasileiro Marcos Casuo percebeu a necessidade de criar algo tão grandioso quanto a famosa companhia para o seu país. Em meados de 2008, ele fundou a “Universo Casuo”, que leva entretenimento de alta performance para o mundo corporativo e cultural com infraestrutura e tecnologia desenvolvidas para atender as agências e empresas de grande e médio porte de toda América Latina. O leque de opções para as corporações inclui palestras motivacionais, pocket shows e eventos customizados de acordo com cada objetivo e público, desde os diretores, lançamento de novos produtos ou serviços até o treinamento do time de vendas para potencializar a sua produtividade.

Segundo Casuo, a ideia surgiu do desejo de apresentar uma proposta inovadora de entretenimento e um novo caminho para as atividades teatrais e circenses do Brasil. “As empresas não podem parar de criar e evoluir, assim como o circo não para”, ressalta.

Com essa proposta, a Universo Casuo já passou por todos os estados brasileiros e mais sete países (Paraguai, Argentina, Chile, Colômbia, Panamá, Costa Rica e México), com uma audiência de cerca de 1 milhão de pessoas, sendo 95% advindos do meio corporativo. No final de 2019, a empresa completa 11 anos e Casuo continua a investir forte na área artística voltada para os negócios. O paulistano, natural do interior, planeja para o segundo semestre deste ano um grande evento, na grande São Paulo, além de lançar seu livro até o início de 2020.

Marcos Casuo (Foto: Divulgação)

"Gosto de estar sempre em movimento e é assim que tudo flui na Universo Casuo Entretenimento. Essa visão de empreender sem perder o propósito comum, surpreender e encantar sempre fez parte da nossa filosofia", conta o artista. 

A Universo Casuo nasceu com o intuito de surpreender e encantar o grande público por meio das mais antigas e hoje inovadoras técnicas circenses e milenares. O livro está sendo elaborado e vem com o objetivo de contar um pouco dessa trajetória, sendo uma ferramenta para motivar e ativar nas pessoas a consciência criativa, além de muitas reflexões sobre toda essa passagem até os dias de hoje.

Na época de “Alegria”, Casuo foi aclamado por público e crítica pela sua audácia e criatividade, arrancando aplausos de mais de 12 milhões de pessoas em mais de 29 países, com seu ápice em Londres, no Royal Albert Hall, quando se apresentou para a realeza e foi reconhecido como um dos dez melhores clowns do mundo.

Por: REDAÇÃO DELOOX

Galeria Aymoré abre as portas para a mostra 'Plural'

Sexta-feira 11 Outubro 2019 / Comportamento

Plural - Regina Parra

A Revista Caju encontra a Galeria Aymoré em um conjunto de exposições, ações e performances com inauguração no sábado (12), na Villa Aymoré, na Glória. O programa, chamado “Plural”, reúne quatro mostras individuais, quatro coletivas e uma intervenção poética, fruto de parceria do espaço com a Caju, plataforma que reúne uma revista digital de arte e cultura e um banco de cursos e projetos. 

“Plural” surgiu a partir do encontro entre as curadoras Gabriela Davies, da Aymoré, e Daniela Name, da Caju, que descentralizaram as curadorias das mostras coletivas de videoarte (Loli Brito, Lucas Albuquerque e Camila Mira) e performance (Luana Aguiar) e foram responsáveis pelo convite às cinco artistas com participações solo no projeto: Danielle Cukierman (“Rota de fuga”), Lia Chaia (“Percurso”), Lyz Parayzo (“40° graus”) e Regina Parra (“Dias felizes”), que fazem suas primeiras individuais no Rio de Janeiro, além da também poeta Katia Maciel, que apresenta a intervenção sonora e literária inédita “Zuada”. 

“A parceria entre a Aymoré e a Caju surgiu de uma vontade imediata de abrir diálogos e criar um conceito múltiplo”, explica Gabriela Davies. “O meio de arte necessita cada vez mais de parcerias, criando um sentimento de união nesse tempo instável. Descentralizamos a curadoria, abrimos espaços para exposições individuais e mostras coletivas, trabalhando em diferentes suportes, mas mantendo os corpos individuais de cada curadoria”. 

Foto: Divulgação

Daniela Name conta que Caju e Aymoré fizeram um convite curatorial coletivo à Lia Chaia e Regina Parra, artistas de São Paulo que, embora com mais de uma década de trabalho, jamais haviam feito uma individual no Rio. “Uma das maiores alegrias do projeto é essa estreia quádrupla, porque com isso afirmamos que a cidade sabe reconhecer arte e cultura, quer promovê-las e se articula em inúmeras redes para conseguir fazer isso. Também foi bonito perceber uma pluralidade articulada entre as mostras. Embora concebidas de modo autônomo, elas têm em comum uma relação com os percursos e rotas (ou falta deles), com o tempo de espera, o silêncio, as travessias. Não é um acaso, no momento que estamos vivendo”.

A artista e pesquisadora Luana Aguiar assina a curadoria de “Pulso”, mostra de trabalhos em performance que privilegiou artistas periféricas e transgêneros, cujas obras abordam direta ou indiretamente as transformações e os trajetos de seus corpos. Elas se apresentam em duas sessões: a primeira no dia 12, durante a abertura (obras de Laís Castro, Mery Horta, Panmela Castro, Patricia Francisco e Cia de Mystérios), e a segunda no dia 23 de outubro (obras de Jessica Kloosterman, Juliana Waehner, Marcela Antunes e Mariana Maia). Também neste dia curadores e artistas recebem o público para uma visita comentada.  

Os programas de vídeo apresentam visões distintas sobre a linguagem. Em “Sobre os excertos da matéria”, Lucas Albuquerque reúne trabalhos de Ana Costa Ribeiro, Laura Erber, Leila Danzinger e Regina de Paula, a partir de um denominador comum:  a presença de um objeto impresso (livro, manuscrito) como índice de narração e de opacidade. Em “Atravessar”, Loli Brito acessa sua pesquisa sobre curadorias e artistas não-brancas para apresentar trabalhos das artistas negras Ana Almeida, Berni Searle, Edzita e Marta Supernova. Todos os trabalhos tangenciam de alguma forma a ideia da morte e do desaparecimento, sejam eles individuais ou coletivos. 

Danielle Cukierman 

Por: REDAÇÃO DELOOX

Ana Paula Barbosa comemora aniversário na Barra

Sexta-feira 11 Outubro 2019 / Comportamento

Ana Paula Barbosa comemorou mais uma primavera, na quinta (10), na casa dos seus pais Maninha e Leleco Barbosa, na Barra da Tijuca. As carrapetas foram comandadas pelo DJ Ricardo Vasques e o saxofonista Herison Braz também se apresentou na festa. A mesa foi decorada por Carlinhos Lamoglia, o bolo teve detalhes em flor de Patricia Moreno, os doces foram feitos por Roberta Monteiro, os bem-casados e folheria de doce de leite ficaram por conta da Sanny Pâtisserie e, por fim, os bombons DiCioccolato e palhas italianas foram entregues pela Segredo B. Mais de 200 amigas foram prestigiar a RP.

Veja nas fotos de Vera Donato.

Ana Paula Barbosa

Maninha Barbosa e Claudia Jannuzzi

Patricia Mata, Dandynha e Daniela Brandão

Monte Alto, Paula Severiano e Alessandra Amaral

Claudia Lobo e Giovanna Priolli

Claudia Terra e Roberta Limmer

Sumaya Neves, Rachel Gusmão, Roseana Motta, Ana Helena Lassance, Claudia Jannuzzi e Micheline Thomé

Por: REDAÇÃO DELOOX

Luciana Caravello Arte Contemporânea faz leilão em prol da Sociedade Viva Cazuza

Quinta-feira 10 Outubro 2019 / Comportamento

Sergio Alevatto e Flora Americana - Série Retratos, 2019. Óleo sobre linho (100cm X80cm)

Na próxima quinta (17), data em que a Sociedade Viva Cazuza completa 29 anos, Luciana Caravello Arte Contemporânea fará um leilão de parede beneficente, com toda a renda revertida para a instituição criada em 1990 pelos pais de Cazuza, Maria Lúcia (Lucinha) e João Araújo. Serão apresentadas obras em diferentes suportes, como pintura, desenho, gravura, fotografia e escultura de importantes artistas, como Adrianna Eu, Alan Fontes, Alexandre Mazza, Almandrade, Armando Queiroz, Bruno Miguel, Cabelo, Daniel Murgel, Eduardo Kac, Gustavo Speridião, Marcelo Jacome, Pedro Varela, Úrsula Tautz, Victor Arruda, entre outros, que doaram trabalhos para o projeto. 

O leilão de parede caracteriza-se pela ausência da figura do leiloeiro, que normalmente faz a mediação entre os lances oferecidos e a venda final da obra. Nessa modalidade, o participante registra a sua oferta diretamente na parede, ao lado da obra. O lance mínimo será de R$1.000.  

Realizado em um ambiente descontraído e informal, todos serão convidados a participar do leilão, bastando apenas preencher uma ficha de inscrição, que estará disponível na galeria no dia do evento. Durante o dia, os participantes podem deixar seus lances a qualquer momento, pessoalmente, por telefone ou internet. 

Victor Arruda - Acima da cidade, 2018 (70cmX40cm)

Por: REDAÇÃO DELOOX