Esteticista Natalia Nascimento (Foto: Divulgação)

Você já ouviu falar em papada? Aquela protuberância na parte inferior do rosto entre o queixo e o pescoço. Além de incômoda, esse excesso altera o contorno facial da pessoa, gerando muitas vezes um certo desconforto.

A papada pode ser causada por excesso de gordura, excesso de pele ou deficiência de mandíbula, e para cada causa existe um tratamento individualizado. Por isso, segundo a esteticista Natalia Nascimento, é importante realizar um bom diagnóstico para a elaboração de um plano de tratamento.

Para mulheres e homens, o excesso de gordura em qualquer região do corpo pode incomodar. No rosto, mais ainda. Além disso, com o passar do tempo, o envelhecimento favorece a flacidez nessa região. Como solução, muitas pessoas estão buscando a famosa lipo de papada.

Recentemente, a atriz Nivea Stelmann compartilhou com seus seguidores do Instagram a realização do procedimento chamado lifting não cirúrgico, também conhecido como lipo de papada, porém, neste procedimento, o bisturi não é utilizado. De acordo com Natalia, a técnica é efetuada por meio de injeções de enzimas na região, que possibilitam redução considerável no volume de gordura localizada, acabando com o efeito de papada.

Antes e depois da lipo de papada (Foto: Divulgação)

O procedimento não tem cortes e consiste na aplicação de enzimas compostas por ácido deoxicólico, que possibilita a degradação da gordura, facilitando sua eliminação. Esse ácido promove resultados rápidos e muito seguros. No entanto, quando há muita gordura, o caso se torna mais grave e a lipo por sucção pode garantir melhores resultados.

Natalia explica que o ácido aplicado no procedimento realizado com enzimas já está presente no nosso corpo, o que garante a não rejeição do organismo. Segundo ela, todo procedimento contém riscos, mas nesse caso, é mínimo. “É um procedimento não cirúrgico de baixa complexidade”, diz.

Diferente dos outros tipos de lipo, neste caso o paciente pode continuar sua rotina normalmente após o procedimento, sem restrições. Porém, a especialista alerta que se deve ser seletivo na hora de escolher o profissional. “Busque alguém que ofereça um serviço de qualidade e entenda sobre o assunto. Até porque cada pessoa reage de uma forma diferente a todo tipo de tratamento e o acompanhamento e orientação são fundamentais”, conclui Natalia.