A dermatologista Christiane Gonzaga conta que a novidade é o uso do ácido hialurônico para harmonizar a face. Foto: divulgação

Uma nova técnica para prevenir, corrigir imperfeições e efeitos do envelhecimento do rosto está fazendo sucesso nos consultórios: a Harmonização Facial. O procedimento aposta na restauração do equilíbrio da face com ácido hialurônico a partir de um novo entendimento em torno do problema, que vai além da redução de colágeno e da influência da gravidade na pele. A dermatologista Christiane Gonzaga, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana, explica.

“Antes pensávamos que somente a perda de colágeno e a ação da gravidade eram responsáveis pelo aparecimento de sulcos profundos na pele. Porém, com o passar dos anos, além de perdermos compartimentos de gordura no rosto, os músculos ficam mais livres para contração. Perdemos também a massa óssea”, detalha a médica.  

Com isso, a técnica de harmonização, também conhecida como volumização facial, tem sido aplicada em pacientes a partir dos 30 anos de idade.

“Se o objetivo é prevenir, retardar ou nunca fazer um lifiting cirúrgico, por exemplo, é recomendado iniciar com pequenos procedimentos preventivos aos 30 anos, para chegar aos 60 anos com um rosto mais jovem, envelhecendo lentamente”, recomenda ela. 

Christiane Gonzaga alerta para uma confusão comum entre os pacientes que acham que a técnica vai dar volume ao rosto e ressaltar as bochechas. 

“Não usamos o ácido hialurônico nos sulcos, como bigode chinês e linha de marionete, para não pesar a face, usamos nos pontos de sustentação, os MD CODES ou medical codes, essa é a grande mudança na visão da harmonização da face. É um lifiting facial imediato, um procedimento tolerável, sem sangramento e cortes, e o próprio preenchimento tem anestésico. ”, conta a médica.

Os preenchimentos com ácido hialurônico podem durar de 18 a 24 meses

A dermatologista revela que existem preenchimentos que podem durar de 18 a 24 meses.

“Os primeiros sinais de envelhecimento facial aparecem nos olhos, que ficam mais fundos, e nos sulcos do canto da boca. Em pessoas mais jovens, a harmonização é feita em apenas um ponto de sustentação e os pontos vão aumentando de acordo com a idade da paciente”, explica Christiane.

A médica diz que é preciso perceber uma beleza simétrica entre os terços da face - superior, médio e inferior - para o rosto estar harmonizado.

“Existem medidas para isso: os três terços precisam estar proporcionais e isso dita uma beleza. Por exemplo, o queixo desproporcional pode ser corrigido com a harmonização facial. O objetivo é analisar os pontos negativos da face e transformá-los em positivo", observa.

De acordo com a médica, as maiores queixas são a região dos olhos, bigode chinês e pés de galinha. Ela acrescenta que o tratamento pode ser feito frequentemente, a cada quatro meses, de forma preventiva e corretiva.