O bar paulista Astor, que desembarcou no Rio em 2010 numa das esquinas mais charmosas de Ipanema, do ladinho do Arpoador, traz para a filial carioca Rogério Souza, head bartender do SubAstor SP, que acumula uma história longa com a casa. Já são 15 anos de coquetelaria no endereço da Vila Madalena e, agora, traz seu toque para a carta do Rio.   

Drink É O Bicho: nova criação de Frajola para Astor carioca. Foto: Henrique Peron

O mixologista assina oito novas receitas, criadas para harmonizar com o cardápio, além de dois drinks On Tap e dez clássicos, como Dry Martini e Negroni. Para as novas misturas, Frajola apostou nas frutas tropicais, com uma pegada mais fresca e moderna. Feito com cachaça, limão-cravo, xarope de castanha-do-Pará e manga, o Tiki Brasil é uma das novidades. Também se destacam o Remolacha Margarita, com tequila com infusão de beterraba, limão taiti e xarope de hibisco; o É o Bicho, com vodca limão-taiti, Chartreuse amarelo, xarope de amêndoas, goiaba e folhas de manjericão; e o Beautifying, rum cubano escuro, licor Bénédictine, vermouth dry com infusão de jasmin e bitter de pêssego.

Outro drink que tem significado especial é o PMF Collins, uma releitura do Tom Collins, que é preparado com gin, xarope de fruta do conde e grapefruit. O nome é uma homenagem às três pessoas que lhe apresentaram o mundo da coquetelaria: Pereira, seu tio e chefe de bar do Astor São Paulo, Márcio Silva, ex-Sub que inaugurou a casa em São Paulo, e Fabio La Pietra, atual bar manager do SubAstor.

Neste mês de maio, para marcar a estreia da carta, os coquetéis terão um preço especial de R$25 cada.

Com o PMF Collins, Frajola faz homenagens a 3 parceiros que o introduziram à coquetelaria. Foto: Henrique Peron