Com as temperaturas altas, as ostras ficam ainda mais sedutoras ao paladar, especialmente quando harmonizadas com drinks, vinho branco ou até mesmo cerveja. Parte da dieta do Mediterrâneo, conhecida por dar longevidade a povos que viviam na região do Mar Mediterrâneo, a iguaria surge nos cardápios da estação quente através de receitas elaboradas ou simplesmente in natura, temperada apenas com limão e azeite.   

Ostras empanadas do Urukum. Foto: divulgação

Localizado na Marina da Glória, o restaurante Urukum, do chef Jefferson Pacheco, que traz na bagagem referências de muitos lugares onde morou, como França e Portugal, preparou para a temporada uma versão crocante, batizada de Pérolas do Urukum. A porção vem com seis unidades de ostras empanadas com farofa de coco e molho de gengibre.  

Quem também se rendeu ao alimento foi o Badalado Lagoa Club, inaugurado no início de 2018, na Lagoa Rodrigo de Freitas, que prepara para a temporada o Festival de Ostras, em cartaz durante todo o verão, sempre às terças e quintas. Os destaques ficam com as Ostras ao Champagne (R$34,90) (foto), temperadas ao champagne e acompanhadas de legumes à Julienne, e Ostras Badalado, frescas acompanhadas de mix de cogumelos salteados na manteiga de páprica. 

Ostras com espuma de Tucupi do Chez Heaven. Foto: divulgação

Outra casa que estreia com seu Festival de Ostras é o Chez Heaven Bistrot, casa da semifinalista do MasterChef Profissionais Heaven Delhaye no Vogue Square, na Barra da Tijuca. A chef franco-brasileira criou pratos de ostras com espuma de Tucupi e crocante de arroz selvagem, servidas sobre base de gelo seco, e Ostras ao Limonete, que chegam à mesa sobre cama de sal e gelo e combinam o frescor do limão à intensidade da ostra fresca.

Quem quer curtir um dia de praia com ostras pode experimentar as sugestões do Clássico Beach Club, mistura de quiosque e lounge com filiais na Barra da Tijuca e Grumari. Três versões fazem parte do menu, entre elas a Caipiostras, feita com limão, flor de sal, vodka e finalizada com alecrim.

Ceviche de Ostras do Flutuante Rio. Foto: divulgação

Enquanto isso, às margens da famosa mureta da Urca, o Flutuante Rio, espaço com vista privilegiada da Baía de Guanabara, Cristo Redentor e o Pão de Açúcar, faz a iguaria à peruana na receita de Ceviche de Ostras, temperada com suco de limão, pimentas dedo de moça e do reino branca, cebola roxa, coentro fresco, sal e azeite extravirgem.  

Além dos tradicionais sushis e sashimis, as ostras também são um hit da culinária nipônica, que com a fama de serem afrodisíacas e altamente nutritivas são bastante con­sumidas pelos japoneses, que as apre­ciam de várias maneiras, desde frescas e crus até cozidas no vapor, grelhadas, assadas, fritas ou cozidas junto com outros ingredientes em um prato quente. O tradicional Azumi, restaurante genuinamente japonês da família Ohara em Copacabana, oferece o Kaki Yaki, uma dupla de ostras grelhadas em suas próprias conchas de forma a preservar a textura da carne temperada com sal marinho e acompanhada de shoyo e saquê. 

Kaki Yaki do Azumi. Foto: divulgação

Outro restaurante de culinária inspirada na Terra do Sol Nascente, o Yumê, no Jardim Botânico, também aposta no alimento com a porção de seis unidades de ostras frescas, servida em um barquinho com gelo, que pode ser harmonizada com rótulos de saquê da carta da casa, por exemplo.